7 Coisas que queremos ver na série do Flash

A série do Flash está chegando (com sorte, na próxima temporada) e nela podemos ter uma algo muito empolgante de um super-herói bem interessante. E sendo este que vos escreve um fã do velocista escarlate, resolvi listar aqui algumas coisas que espero ver na série.

– Barry não é o Oliver, e Central City não é Starling City:

Flash é uma série que surgiu devido ao enorme sucesso que Arrow está fazendo, e Arrow é totalmente baseada no “NolanVerso” (a estética que Christopher Nolan deu à trilogia do Batman), ou seja, tudo tem fundamento na realidade. A maior prova disso é que a personagem Canário Negro usa o “grito do Canário” através de um equipamento sônico, e não das suas cordas vocais, como é nos quadrinhos.

Mas como foi mostrado nos episódios que introduziram o Barry Allen, já deu pra ver que ele é um personagem totalmente diferente de Oliver Queen. Enquanto o milionário passou por um trauma que o marcou para sempre, e se transformou nessa maquina da vingança para trazer justiça à Starling City, Barry é um puro fanboy, um jovem com um trauma tão intenso quanto Oliver, mas com o humor muito mais leve. Guardada as devidas proporções, Barry poderia ser mais como o Superman, um herói que está ali para dar uma nova esperança à Central City, que deve ser totalmente diferente da cidade do Arqueiro, tendo seus próprios problemas políticos, mas de modo que ambas as cidades estejam em um mesmo universo.

– A Força da Aceleração:

Se você acha que a única coisa que o Flash faz é correr rápido, você errou, errou feio. Barry pode se mover tão rápido que pode andar pela água, atravessar objetos sólidos, criar furacões, voar por um curto espaço de tempo e até se mover no tempo/espaço, ou seja, voltar ou avançar no tempo, poder que o próprio intérprete do personagem, Grant Gustin, já declarou que gostaria muito de fazer e que abre imensas possibilidades narrativas.

Logo de cara eu duvido que ele saiba como realizar todas essas proezas, mas pode ser muito legal vê-lo ao longo da série desenvolvendo tais poderes e aprendendo mais sobre a Força da Aceleração.

640px-Flash_Costume_Ring_002

– A Roupa no Anel

Isso é bem engraçado e legal. Nos quadrinhos (e no próprio desenho da Liga da Justiça), Barry guardava o uniforme do Flash em anéis numa gaveta. Na hora de agir, ele apertava o anel e a roupa saia toda (não me pergunte como ele guardava um uniforme inteiro dentro de um anel, mas ele fazia).

Isso já é nerdice demais, e nada funcional numa série que deve seguir a temática do “NolanVerso”, mas seria uma baita homenagem aos quadrinhos e muito legal de se ver.

the flashes

– Jay Garrick, Wally West e Bart Allen

Embora ainda não tenha sido revelado o papel de John Wesley Shipp, o Flash da série antiga, torço muito para que ele seja Jay Garrick, o Flash da Era de Ouro dos quadrinhos, ou como depois foi nomeado no Brasil, Joel Ciclone. Alguém que possa ensinar mais ao Barry sobre os seus poderes.

Dependendo do caminhar da carruagem, seria muito legal que aos poucos fossem introduzidos outros personagens dos quadrinhos. Arrow já colocou o Roy Harper/Ricardito, então Flash pode muito bem ter o Wally West. A tia Iris já está presente, e com Wally em uma série, e Roy na outra, olha a estrada aberta aí pra uma possível série dos Jovens Titãs (tá, viajei demais, mas que seria legal, isso seria).

E se os poderes do Flash evoluírem a tal ponto que ele possa avançar no tempo/espaço, ele poderia acidentalmente conhecer o seu neto, Bart Allen. Tá certo que teria que ser uma cagada bem grande, para fazê-lo avançar ao século XXXI, mas eu gostaria muito de ver esse encontro.

Flash rouges

– Os Vilões

Esse um ponto bastante preocupante: eu não curto os vilões do Flash, sempre os achei muito caricatos. Quem vai levar um cara chamado Trapaceiro, que usa uma arma de catarro, a sério? Só de lembrar o personagem, interpretado pelo Mark Hamill na série antiga, já me dá calafrios. Mas se voltarmos pra Arrow, veremos que vários vilões do Arqueiro foram reinterpretados para se adequarem à estética da série, o caso mais gritante pra mim foi o Conde Vertigo. Sendo assim, posso ver vilões como o Capitão Bumerangue e o Mestre dos Espelhos TALVEZ tendo uma chance de funcionar.

Confirmados mesmo já temos a Nevasca (Danielle Panabaker), mas ainda não se sabe como ela ganhará os seus poderes. Os do Barry foram graças ao acidente nos Laboratórios S.T.A.R., então será que esse acidente teria dado poderes diferentes a outras pessoas? Poderia ser uma saída. Além dela, já tivemos uma breve menção ao Professor Zoom/Flash Reverso, com Barry dizendo que sua mãe foi atacada e morta por um “borrão amarelo”, e temos o personagem do detetive Eddie Thawne (Rick Gosnett).

– C.S.I Flash

Barry leva uma enorme vantagem sobre Oliver Queen no aspecto de solucionar crimes, já que ele é um investigador forense super inteligente. Não que o Oliver seja burro, mas ele é a ponta da flecha. Basicamente, Felicity, com suas habilidades de hacker, é quem o ajuda a apontar e disparar. Então, Barry pode investigar crimes relativamente mais complexos por conta própria, e ainda oferece a nós, espectadores, várias possibilidades de narrativas.

– Os Bravos e Destemidos

Se Barry e Oliver Queen convivem em um mesmo universo e suas cidades são vizinhas, então por que o Flash não dá uma corridinha em Starling City, ou Oliver dá um chego em Central City para formarem uma parceria? Assim, poderíamos ter uma versão das clássicas histórias “Bravos e Destemidos” (The Brave and The Bold). E em termos de narrativa, como Oliver olharia esse novo Barry, agora com poderes? E Felicity, será que sentiria ciúmes da Iris?

 

O piloto de Flash já começou a ser rodado sob a direção de David Nutter e se for aprovado (o que deve acontecer), a série deve estrear ainda neste ano.