Coletiva: Elysium

Elysium capa

Galera, o filme Elysium, novo longa do diretor Neil Blomkamp, chega aos cinemas só nesta sexta, dia 20 de setembro. Mas nós do CeS já conferimos a fita (em breve chega a crítica, mas já adianto que é bem legal), e tivemos a chance de participar de um bate-papo com os atores brasileiros que atuaram no filme: Wagner Moura (Spider) e Alice Braga (Frey).

Na zona sul do Rio de Janeiro, os atores falaram como foi que chegaram ao projeto do diretor de Distrito 9, fizeram algumas reflexões do filme e contaram como foi trabalhar com o ator sul-africano Sharlto Copley. Confira abaixo:

coletiva-elysium-foto-2

Tropa de Elite e Questões Sociais:

Wagner relembrou de como tudo começou para ele: “Foi em 2011, o Neil Blomkamp havia assistido ‘Tropa de Elite’ e gostado. E tanto ‘Distrito 9’, como ‘Tropa’ e ‘Elysium’, eles conversam entre si; então ele me contatou através dos meus agentes nos Estados Unidos e a gente conversou por telefone. Aí eu consegui com que ele assistisse ao Tropa 2 no cinema, ele gostou mais ainda e pediu para eu gravar um vídeo para ele apresentar aos produtores. Eu ainda fiquei um tempão aqui no Rio esperando o filme começar. Enquanto eu esperava, eu fiz ‘A Busca’. Depois, fiquei trabalhando na composição do Spider, pirando, mancando, aí foi aparecendo uma voz e eu cheguei lá com um personagem bem carregado e fiquei meio assustado se era isso que eles iam querer. E não era.”

E continuou dizendo como o filme é mais uma reflexão dos dias atuais do que uma previsão do futuro: “O filme aborda questões como o sistema de saúde e a imigração, tudo isso claro, inserido no contexto de um filme pipoca. Eu tenho muito interesse em fazer filmes assim. Acho que Tropa vai até mais fundo nessa questão, mas também é um filme assim. E nossos personagens ficam do lado dos excluídos, e o Neil procurou atores que viessem de um país que conhecessem um pouco da desigualdade social também.”

Alice contou que foi Wagner quem a indicou para o projeto: “Eu lembro que vi ‘Distrito 9’ do Neil nos Estados Unidos e adorei, virei fã e quando o Wagner falou desse filme, aí eu fui, batalhei, fiz o teste e passei e fiquei super feliz de participar.” Ela ainda falou como compôs a sua personagem: “Queria que ela fosse uma guerreira, uma batalhadora. Afinal, ela é mãe e é médica, tem que cuidar da filha e trabalhar como tantas outras mulheres por aí, e foi nelas em que eu me inspirei. Não queria que ela fosse uma coitadinha.”

Os Segregados do 3º Mundo e Bandeira de hambúrguer

Os atores falaram de como foi trabalhar com o sul-africano Sharlto Copley: “Ele é muito louco”, começou Wagner,“mas no bom sentido. Ele parece aquelas pessoas que tomam café 24 horas por dia. Ele criou um grupo em que nós, ele e o Diego (Luna, ator mexicano que também está no filme) trocávamos emails, e ele nomeou o grupo como Os Segregados do 3º Mundo. Ele é um cara ótimo.”

E Wagner relembrou um incidente curioso com o ator Matt Damon: “Bem, pedi pra colocar uma tatuagem da bandeira do Brasil no braço, mas não era colorida, era só os contornos. Quando Matt viu a tatuagem no meu braço me perguntou ‘Isso é um hambúrguer ?’ e logo respondi ‘Não, cara, é a bandeira do Brasil’. Quando ele percebeu que era mesmo, ele ficou super envergonhado e me pediu desculpas de imediato.”

25 kg extras e dublagem

Pra encerrar, Alice comentou como foi trabalhar com a atriz mirim Emma Tremblay: “Ela é um amor, nos demos muito bem. Tivemos que desenvolver um trabalho de confiança, pois a maior parte do filme eu a carrego no meu colo e ela fica de olhos fechados, só ouvindo a gritaria e as explosões, sem ver o que está acontecendo. Na época era muita coisa, ela tinha sete anos e pesava 25 kg.”

E os atores comentaram como foi dublar os seus personagens na versão brasileira, com Alice brincando que havia dublado o personagem de Wagner: “é muito esquizofrênico”, continuou Wagner, “pois você fala português, aí se vê falando em inglês, e tem que repetir o que você tá falando em português, e você se vê naqueles tipos de Sessão da Tarde. É muita loucura.”

A trama do filme se passa no ano de 2154, quando a população é dividida em duas classes: os muito ricos, que vivem numa estação espacial chamada Elysium, e o resto, que vive numa Terra superpovoada e completamente arruinada.

Neste cenário, de um lado temos Jessica Delacourt (Jodie Foster), uma secretária do rigoroso governo que faz de tudo para impedir que imigrantes entrem na Elysium e ameacem o estilo de vida luxuoso da população local; do outro, Max (Matt Damon), um cidadão da Terra desesperado para entrar em Elysium, o único lugar em que existe uma cura que pode salvar sua vida.

Alice BragaDiego Luna, Wagner Moura, Sharlto Copley e William Fitcher completam o elenco do filme, que tem a direção de Neil Blomkamp (Distrito 9).

Elysium estreia no Brasil em 20 de setembro. Confira o trailer.