Especial: CCXP 2015 – Dias 3 e 4

Ano passado houveram muitas atrações interessantes por partes dos estúdios, mas eles vieram muito tímidos. Não sabiam o que encontrariam e como seria a recepção do público. Mas nesse ano foi épico! Todos se prepararam ao máximo para trazer as melhores atrações e os melhores convidados para tornar a CCXP 2015 um evento inesquecível, e esse foi o efeito.

Para isso os auditórios foram muto bem preparados para os 4 dias de atrações de alto nível, com desenhistas, quadrinistas, autores e artistas que movem o nosso tão amado mundo geek. E para receber as principais atrações, o auditório principal foi totalmente remodelado pela Rede Cinemark, em formato stadium com tela 4k e poderoso sistema de som.

Aqui continuaremos com o nosso pequeno resumo para você que infelizmente não pôde curtir o evento, do que os estúdios trouxeram nos painéis do auditório Cinemark.

Dia 3 (aquele em que desistimos)

Um dia que começou cedo (muuuuuito cedo) para as fãs de Supernatural que esperaram horas na fila para ver o ator Misha Collins, o anjo Castiel. E o ator recompensou toda essa espera contando sobre sua amizade com o elenco e como conseguiu o papel, que era para durar por apenas três episódios, isso há mais de oito anos: “Os produtores não queriam que soubessem que teria um anjo na série, então estava no Script como demônio. Quando fiz o teste, eles revelaram o segredo e eu fiz tudo de novo, completamente diferente”. Misha recebeu presentes, tirou fotos e abraçou os fãs, enrolado na bandeira do Brasil. Pra finalizar, ele deu pequenas pistas sobre o futuro de Castiel: “ele irá tomar decisões ruins”.

CCXP Painel Misha Collins

Seguindo o dia o painel foi tomado pela Disney começando pela pré-estreia exclusiva da animação O Bom Dinossauro, trazendo o trio de comédia Os Barbixas pra apresentar o painel. Após o filme o diretor do longa Peter Sohn apresentou um making of do filme, falando de artes, conceitos e trilha sonora: “Procuramos fazer um filme que respeitasse a natureza: bonito, poético e misterioso ao mesmo tempo”.

A Disney continuou com seu painel e apresentando seus próximos lançamentos, e começou pela animação Zootopia, com uma vídeo mensagem dos diretores Byron Howard e Rich Moore e a presença do ator Rodrigo Lombardi, que dubla a raposa Nick Wilde, e falou da experiência de dublar: “é tentativa e erro. Você acha que o tom está bom, então no meio do caminho encontra um melhor e tem que recomeçar. Perdemos um dia inteiro assim.”

CCXP Painel Zootopia

Para homenagear os fãs brasileiros os diretores fizeram uma cena exclusiva para a versão nacional da animação, mostrando uma cena com o jornalista Ricardo Boechat, onde ele dubla um jornalista onça pintada chamado Boi Chá. Ricardo acredita que foi convidado por causa dos seus seis filhos “sou um reprodutor em extinção, assim como a onça pintada” Brinca. “Foram os 15 segundos mais empolgantes da minha vida.”

Os fãs foram à loucura com um clipe inédito de Capitão América: Guerra Civil, que mostrou mais das motivações de Steve Rogers (Chris Evans) para defender seu amigo Bucky (Sebastian Stan) e se voltar contra seus companheiros como a Viúva Negra (Scarlett Johansson) e o Homem de Ferro (Robert Downey Jr.). O painel também contou com a presença de Anthony Russo, que dirige o filme junto com seu irmão Joe, e teve que se esquivar das inúmeras perguntas dos fãs que queriam saber mais do filme. Sobre as comparações com a HQ, Russo disse que “os fãs precisam manter a mente aberta e saber que diferençar vão existir”.

Disney trouxe o produtor Bryan Burk e um trailer inédito de Star Wars – O Despertar da Força, que contou com uma penca de cenas inéditas e cenas de bastidores. E falou sobre a dificuldade de se lançar algo sem spoilers, dizendo que nem as famílias dos envolvidos na produção puderam saber detalhes da trama:  “Quando trabalhamos em um projeto assim, sempre mantemos segredo”, conta. Para ele o mistério antes do lançamento influencia na forma como o público recebe o produto final. “Quando vi os primeiros episódios de Star Wars, fiquei surpreso ao descobrir que o Luke e a Leia são irmãos, por exemplo. Quero que as pessoas tenham esse sentimento de novidade”. Para encerrar, Burk deixou os fãs loucos pra que chegue o dia 17 de dezembro, falando para esperarmos surpresas, personagens marcantes e a Força mais presente do que nunca, como o nome do filme pode sugerir.

E no próximo painel a linda Evangeline Lilly falou de seus trabalhos no cinema e TV, se declarando totalmente geek: “sonhava em ser uma elfa desde os 13 anos de idade. Fazer a Tauriel (na trilogia O Hobbit), que não está nos livros, foi uma oportunidade de participar de uma criação dentro de um universo pronto”. Lilly também confessou que amou o polêmico final da série Lost e que nunca havia assistido um filme da Marvel, mas ficou intrigada com a participação de Paul Rudd em Homem-Formiga. Despistou sobre o que veremos no segundo filme, mas falou que “gostaria que ela tivesse um filho. E que sua mãe fosse Michelle Pfeifer”. Ao vera reação dos fãs à cada resposta, a atriz morreu de amores: “Vocês são mais entusiasmados do que San Diego”, brincou.

Para encerrar o dia o diretor José Alvarenge Jr. trouxe cenas exclusivas da nova série da Globo, a bizarra SuperMax, uma mistura terror, aventura, drama, romance e ficção científica. A história, que também é acompanhada por uma HQ, conta sobre 12 participantes de um reality show em uma prisão de segurança máxima na Floresta Amazônica. (falaremos mais sobre ela em breve) e logo após foi comemorado os 30 anos da TV Pirata. Claudio Manoel, Claudio Paiva, Diogo Vilela e Ney Latorraca, divertem o público com histórias de 1988, quando a famosa TV Pirata estava no ar. Bem humorados, discutem a liberdade da época, muito usada na comédia do programa para criticar a própria televisão, artistas e a ditadura militar que acabara não muito tempo antes.

CCXP Painel SuperMax

Dia 4 (aquele que é o último e você lembra que tem que voltar à normalidade)

O dia 3 foi tomado pela Disney, e para o último dia foi a vez da Warner fazer o mesmo. Para quem não teve a chance no dia 3, o ator Misha Collins repetiu o seu painel, respondendo à mais perguntas e brincando com fãs, e até cantando parabéns para uma aniversariante e gravando o público cantando Carry on my  Wayward son, música do Kansas que virou o tema não-oficial de Supernatural: “É a minha primeira vez no Brasil, e já virou um dos meus lugares preferidos. Amo a paixão e o fogo de vocês, além de ser, definitivamente, o povo mais bonito do mundo”.

Em seguida a Warner trouxe o figurinista Michael Wilkinson para falar do visual de Batman V Superman. Simpático, Wilkinson falou todo o esforço da equipe, e falou do seu trabalho no uniforme da trindade (Superman, Batman e Mulher-Maravilha) que estavam em exposição no estande do estúdio: “Estudamos as histórias dos personagens, quadrinhos, videogames, pensamos em tudo que eles representam. Levamos tudo muito a sério; Para o Batman resgatamos a essência dos desenhos de Frank Miller. Ele já é mais velho, luta contra o crime há muito tempo, e sua roupa reflete isso: tem rasgos, rugas, não é perfeita. Mudamos ligeiramente o visual do Superman em relação à O Homem de Aço. O uniforme tem uma textura que inspirada nas malhas medievais que funciona muito bem nas câmeras” continuou Wilkinson, fazendo o público cair na risada dizendo que o físico de Henry Cavill valoriza seu figurino.

Para finalizar, Wilkinson expressou grande carinho pela roupa da Mulher-Maravilha: “Gosto de ser como um pai, que nunca mostra predileção por um filho, mas o figurino da Mulher-Maravilha tem um lugar especial no meu coração. Ela é forte e poderosa mas também tem cérebro e a disciplina de uma amazona e o traje tinha de expressar isso”.

Logo em seguida houve a pré-estreia do filme Creed – Nascido para Lutar, que traz Michal B. Jordan como o filho do famoso rival de Rocky Balboa (Sylvester Stallone). A Warner finalizou sua participação mostrando vídeos de seus próximos lançamentos, enquanto que no seu estande exibia o trailer da sua nova série Legends of Tomorrow e o primeiro episódio da nova temporada de Arrow.

Como último painel do evento a Netflix trouxe para os fãs os atores do seu próximo filme original, a comédia The Ridiculous Six. Adam Sandler, Terry Crews, Jorge Garcia, Taylor Lautner e o diretor Frank Coraci divertiram o público em vários momentos, desde Garcia tirando foto com uma fã parecida com ele até Crews dançando sem camisa e cantando A Thousand Miles. “Nós nunca estivermos tão ligados em uma produção, somos uma família”, disse Crews sobre seus colegas de elenco.

Painel do filme Original Netflix, The Ridiculous 6 na Comic Con Experience 2015. (Foto: Henrique Manreza)
Painel do filme Original Netflix, The Ridiculous 6 na Comic Con Experience 2015. (Foto: Henrique Manreza)

Para finalizar uma última surpresa: uma sessão exclusiva do filme especialmente para a CCXP.

Durante os quatro dias, passaram pelo Centro de Convenções cerca de 142 mil pessoas, 22 mil a mais que a previsão inicial, e em seus quatro painéis foram oferecidas mais de 600 horas de programação simultânea, incluindo atrações nos estandes e no beco dos quadrinistas. “Investimos em diversas verticais de entretenimento para entregar um evento completo para todos os fãs de cultura pop” ressalta Ivan Costa, sócio da CCXP.