Crítica: Argo

Galera já não se vê muito do Ben Affleck nas telonas, os últimos filmes que eu me lembro dele são Demolidor (em que embora muita gente torça o nariz pra sua atuação eu até que defendo) e A Soma de Todos os Medos (se houver mais recentes por favor me lembrem), mas sempre gostei de suas atuações, acho ele um ator e tanto. Mas ele também vem se concentrando bastante na sua carreira de diretor, e o cara manda muito bem, como já vimos em Medo da Verdade (em que ele dirige o irmaõ, Casey) e Atração Perigosa (em que ele também atua, só não citei anteriormente por que eu não vi). E o ator/diretor nos traz outro excelente trabalho com sua nova empreitada, Argo.

Baseado em fatos reais o filme começa mostrando um golpe de Estado no Irã, em que a embaixada americana é tomada pela população revoltada com os EUA, mas os problemas começam quando seis diplomatas conseguem fugir da embaixada e se escondem na embaixada canadense. Sabendo da situação crítica em que os fugitivos se encontram Tony Mendez (Affleck), agente da CIA especialista em tirar pessoas de áreas de conflito, pensa no plano mais improvável e arriscado possível, mas o único realmente viável para dar certo: fazer um filme.

E então o filme se divide em duas partes, a preparação da farsa do filme, onde os personagens de John Goodman (You Don’t Know Jack) e Alan Arkin (Pequena Miss Sunshine) nos apresentam um mundo pior que o da política, o do entretenimento, e a retirada dos fugitivos do Irã, onde Affleck capricha na tensão e na expectativa de serem pegos ou de conseguirem cumprir o objetivo. Não se surpreenda se você perceber que está torcendo para eles, por que em certo ponto você vai estar.

O roteiro também é muito bom, é tenso mas tem os seus alívios cômicos (muito devido aos personagens de Goodman e Arkin) que em nenhum momento são bobos ou prejudicam a trama principal. Os outros atores, especialmente Bryan Cranston (que tá aparecendo em tudo que é filme agora…) também estão ótimos. E, só pra comentar mas sem estragar muito o filme, é impressionante pensar que dos lugares mais improváveis surgem as melhores idéias. A fotografia e retratação da época são muito legais, em vários momentos o filme mostra vídeos de telejornais locais da época sem parecer falso, e te contextualizam muito bem com a época em que o filme se passa.

Com um clima bastante tenso, Argo é mais um excelente trabalho de Affleck, que está se especializando nesse lance de dirigir/atuar nos filmes. Argo vai estar chegando por aqui dia 9 de Novembro, mas será exibido durante o Festival do Rio, então corra por que é uma excelente pedida !

 

Argo, EUA, 2012 – 120 min

Elenco: Ben Affleck, John Goodman, Alan Arkin, Bryan Cranston, Tate Donovan, Kyle Chambers

Direção: Ben Affleck