Crítica: Atividade Paranormal 4

Galera em 1999 A Bruxa de Blair iniciou um novo gênero de terror, o chamado pseudodocumentário, onde nós passamos a fazer parte da experiência graças ao fato do filme se passar todo gravado por uma câmera de mão. De lá pra cá outros filmes também aplicaram este estilo ao seu gênero, e alguns conseguiram um sucesso bem expressivo, como o espanhol [REC] e o americano Atividade Paranormal, este último chegando agora ao seu quarto filme. Mas após quatro filmes, será que ainda resta o que mostrar ?

Não tem muito o que dizer sobre o filme sem dar spoilers, por isso vou ser bem sucinto.O filme está diretamente ligado ao segundo Atividade, iniciando mostrando o final dele. Logo após, cinco anos pra ser mais exato, somos apresentados a uma nova família onde a filha mais velha, Alex (Kathryn Newton), começa a ficar cabreira com o seu vizinho, Robbie (Brady Allen) e com a amizade que ele vem tendo com o seu irmão mais novo Wyatt (Aiden Lovekamp). Como coisas misteriosas começam a acontecer, ela pede ao seu “amizade colorida” Ben (Matt Shively) para usar os milhares notebooks espalhados pela casa (aliás deve ter tido uma “chepa” por lá ou eles comparam na “Sexta-Feira Negra”, nunca vi tanto notebook pra uma família só…chega ao ponto da mãe ter um só pra ela pra ver receitas de culinária) para gravar e provar aos pais as sinistras coisas que vem acontecendo na casa.

Bem, o filme, comparado aos três anteriores, não apresenta novidade nenhuma, nem em seu enredo bem previsível, nem nos sustos que o filme se propõe a dar. Embora mesmo você sabendo que o susto está pra vir, você ainda assim se assuste, e isso pelo menos é legal. O lance da “câmera na mão” chega a irritar certas horas, tipo “cara, larga essa porcaria de câmera e corre !”, e ele se utiliza bastante dos lindos olhos azuis de Alex (aliás, ô novinha bonitinha…). Mas de resto, como mostrar a reação dos pais quanto ao que está acontecendo, embora eles só venham a perceber quando já é tarde (ou seja, pais sendo pais), torna o filme muito ralo, tornando-o apenas mais um “Festival de Sustos Gratuitos”.

Em suma, este novo Atividade não acrescenta em nada ao gênero em nem a própria história que se forma, pelo contrário, ainda acrescenta novas perguntas, o que me faz pensar sobre a direção que a já formada “cinessérie” está tomando. Se vale a pena o ingresso ? Bem, se você é fã dos filmes anteriores até vale, mas se você só está atrás de uma boa diversão aterrorizante, eu passaria longe. Ah, e tem cena depois dos créditos, embora eu duvide que venha a acrescentar alguma coisa.

 

Paranormal Activity 4, EUA, 2012 – 95 min.

Elenco: Kathryn Newton, , Kathryn Newton, Matt Shivley, Brady Allen, Alisha Boe, Katie Featherston.

Direção: Henry Joost e Ariel Schulman