Crítica: Celeste e Jesse Para Sempre

Filmes românticos que são honestos não são raros, mas a maioria das pessoas preferem o “final feliz”. É verdade, somos levados a ver filmes românticos porque no fundo temos a esperança (principalmente as mulheres) de que se eles aconteceram para os personagens, também podem acontecer conosco, meros mortais. Mas às vezes, ao invés da vida imitar a arte, a arte imita a vida e nem tudo sai como devia. E quando chega o momento da separação?

É o que acontece aqui com Celeste (Rashida Jones) e Jesse (Andy Samberg), que se conheceram no ensino médio e são perfeitos um para o outro. Mas a vida segue e enquanto ela se torna uma poderosa mulher de negócios, ele vai se tornando um perfeito clichê, sem emprego e pior, sem perspectiva nenhuma na vida. Cansada de aturar o moleque grande, Celeste decide que, pelo bem da amizade, é melhor se separarem. Mas a vida seguiu e Celeste começa a perceber que pode não ter sido tão justa com Jesse e consigo mesma.

O roteiro de Will McCormack com colaboração da própria Rashida, é leve e, apesar de tratar de um tema sério, ele o faz com muito bom humor no tempo certo, sem exageros. E Samberg, que é egresso de Saturday Night Live e mais conhecido pelo circuito da comédia, não perde suas características cômicas, mas equilibra bastante o drama e torna o personagem bem interessante, principalmente por não mostrar exageros durante a transição do personagem. E o elenco de apoio é ótimo, com as participações pontuais de Elijah Wood e Emma Roberts, e acaba sendo um excelente contraponto à personalidade controladora de Celeste.

O que mais gostei em Celeste e Jesse pra Sempre é que ele apresenta um relacionamento honesto, um casal que se ama mas nem sempre o amor é suficiente, e no final nem sempre o amor vence. Ou até vence, mas não da maneira que achamos. Sei que todos torcemos pelos finais felizes, mas às vezes um filme pé-no-chão não faz mal a ninguém.

 

Celeste & Jesse Forever, EUA, 2012 – 92 min.

Elenco: Rashida Jones, Andy Samberg, Will McCormick, Elijah Wood e Emma Roberts

Direção: Lee Toland Krieger