Crítica: Como Sobreviver a um ataque Zumbi

Os mortos vivos voltaram com força total ao imaginário popular, e Como Sobreviver a um ataque Zumbi (Boyscout Guide to Zombie Apocalypse), embora não tenha a proposta aterrorizante de outros produtos de cinema em TV, traz toda uma vibe dos antigos filmes dos anos 80, onde todo o visual trash tornavam o filme mais comédia do que terror, e aqui esse visual encaixa muito bem.

Ataque zumbi ft 1

O filme mostra o trio Ben (Tye Sheridan, o novo Cíclope), Carter (Logan Miller) e Augie (Joey Morgan) são os únicos escoteiros na cidade, mas Carter já está cansado dos acampamentos e fogueiras, até que os três são postos ao teste definitivo: sobreviver à uma súbita epidemia que transformou grande parte da população em mortos vivos comedores de carne humana. Para isso os rapazes, com a ajuda da garçonete durona Denise (Sarah Dumont), vão usar de todas as suas habilidades de lobinhos e tentar sobreviver à esse pesadelo.

Ataque zumbi ft 2

Não espere ver zumbis aterrorizantes como em The Walking Dead ou Extermínio, a proposta aqui é ser engraçado, e o filme cumpre isso muito bem, e se aproveita do fator podreira dos filmes de zumbi, como a sangreira e as partes do corpo que se soltam mas ainda mantém os mortos vindo, para arrancar excelentes piadas (Carter tem os melhores momentos, a cena da policial e de Ben com o velho zumbi na janela são as melhores). A trama é bastante simples e não tenta fazer nada mirabolante, procura se concentrar mais nos personagens, tornando tudo mais divertido.

O elenco embora seja basicamente formado por novatos não comprometem em nada o filme, o trio principal funciona muito bem, o que ajuda no aspecto de filme anos 80 que falei acima, onde adolescentes se uniam para salvar o dia, ou o mundo. As piadas beiram a escatologia, mas se você compra esse tipo de humor, vai se divertir bastante e vai fazer valer a conferida no cinema.

 

Boyscouts Guide to the Zombie Apocalypse, EUA, 2015 – 93 min;

Elenco: Tye Sheridan, Logan Miller, Joey Morgan, Sarah Dumont, Halston Sage, David Koechner;

Direção: Christopher Landon.