Crítica: E a Vida Continua…

Galera falar sobre um filme cujo o tema seja focado numa determinada religião é como pisar em ovos. Ao mesmo tempo que você quer falar o que achou do filme, pode acabar ofendendo alguém que seja da religião em questão. Mas pra mim vai ser muito difícil me conter para falar de A Vida Continua…, novo filme baseado na doutrina espírita de Alan Kardec. Justamente para evitar falar mal dessa ou de qualquer outra religião, vou apenas me ater a falar do que vi neste filme, por que é um filme fraco em gênero, número e grau.

No filme, baseado no best-seller homônimo psicografado por Chico Xavier, Evelina (Amanda Acosta) e Ernesto (Luiz Bacelli) se conhecem após ele a ter ajudado na estrada e ambos descobrem que estão hospedados no mesmo hotel. De uma convesa nasce uma sincera amizade, que ambos carregam para a “outra vida”. E ao chegarem lá, são acometidos por uma série de desafios e surpreendentes revelações.

De sinopse simples, o filme peca em todos os aspectos. Não considerem isso como uma má vontade da minha parte, mas a retratação do mundo espírita fica devendo muito se comparado a Nosso Lar. O roteiro é mal desenvolvido, a edição do filme é pífia e inúmeros diálogos, sabe-se lá por que, foram dublados ou estavam visivelmente fora de sincronismo.

O elenco é o último prego desse caixão, ninguém de fato faz você acreditar na mensagem que o filme quer passar, o único que achei que passou batido foi Lima Duarte. Com um elenco ruim atuando com um roteiro ruim, com diálogos piores ainda não há filme que se salve. E duas coisas que me irritaram profundamente foram os takes colados no rosto dos atores e a trilha de piano que toca incessantemente ao longo do filme, totalmente desnecessários.

E na mensagem do filme também mora um problema, por que o cinema tá cheio de filmes que tem um apelo religioso mas nem por isso tentam vender a religião da forma vexatória que foi este aqui. Amor Além da Vida, Prova de Fogo e até os brasileiros Chico Xavier e Nosso Lar fazem um trabalho infinitamente melhor do que o que foi feito aqui. Independente da religião, seria melhor que certos ensinamentos ficassem só na teoria e iniciativas como E a Vida Continua não chegassem a ver a lluz do dia. Se Vale o Ingresso ? Nem pra você que é espírita e nem pra você em busca de uma religião…

 

E a Vida Continua…, Brasil, 2012 – 97 min.

Elenco: Amanda Acosta, Luiz Bacelli, Ana Rosa e Lima Duarte.

Direção: Paulo Figueiredo.