Crítica: E aí…Comeu?

Galera, a tão famosa Guerra dos Sexos ganhou novas armas e, com o passar dos tempos, parafraseando Horácio – personagem de Marcos Palmeira – no início de E aí…Comeu?, os homens viraram Constantinopla e as mulheres o exército armado até os dentes que está pronto para invadí-la. E essa é a questão principal levantada na fita, baseada na peça de Marcelo Rubens Paiva (que também assina o roteiro), como nós, Homens, nos encaixamos nesse novo mundo, onde cada vez mais as mulheres tomam a frente e a iniciativa nos relacionamentos. Quer dizer, a segunda questão, por que a primeira (para os homens) sempre vai ser “E aí..Comeu?”

Pra responder a essa questão somos apresentados a três grandes amigos – o arquiteto Fernando (Bruno Mazzeo), o jornalista Horácio (Palmeira) e o escritor Afonsinho (Emilio Orciollo Netto) – cada um com seus próprios problemas: o primeiro, acabou de tomar um pé-na-bunda da sua mulher (Tainá Müller) e tá na maior deprê, o segundo tá se distanciando cada vez mais da mulher (Dira Paes) e o terceiro não consegue terminar o livro e só se relaciona com mulheres casadas ou prostitutas e tem um lema único para todos os problemas e alegrias: “vamos pra um puteiro!“. E os três sempre se reúnem no melhor lugar pra uma terapia em grupo, a mesa do bar Harmonia (que se não for fictício, alguém escreva nos comentários aonde é por favor), onde o garçom (Seu Jorge) se torna seu terapeuta. E é no bar onde é melhor mostrado o exemplo da “Constantinopla e o Exército”, já que é lá onde se passa a maior parte do filme. Hoje em dia as mulheres também se reúnem nas mesas de bar, pra falar as mesmas besteiras (ou mais besteiras) do que nós, fato mostrado no filme pelo grupo de amigas lideradas por Layla Zaid que também tá sempre no mesmo bar (ô barzinho bem frequentado hein…) . E mostrar essa atual igualdade e liberdade é o ponto alto do filme.

Basicamente vemos o filme pelo ponto de vista dos três amigos e como eles se viram com os seus relacionamentos (ou a falta de um). As atuações estão hilárias, em especial um Marcos Palmeira hilário, me lembrando muito os antigos contos da Comédia da Vida Privada. Suas narrações e explicações pontuam o filme e provocam risadas certas (pelo menos pro público masculino, não posso garantir o mesmo pro outro lado). A direção de Felipe Joffily (Muita Calma nessa Hora) ajuda muito no tom da comédia do filme e a trilha também. E o filme também é legal por que ele brinca com si mesmo, fato vísivel por chamar o garçom interpretado pelo Seu Jorge simplesmente de…Seu Jorge ! Simples e genial. E o filme também levanta várias questões de relacionamento, por isso se você for vê-lo em casal não se surpreenda se sua mulher te perguntar “você já quis pegar uma lésbica ?”

É isso gente, com piadas astutas e inteligentes E aí..Comeu ? agrada, diverte muito e vai te dar assunto pra discutir com seus amigos e principalmente amigas (e com seus pares) durante um bom tempo. Mas se é pra discutir, façamos direito: numa mesa de bar, com muita cerveja e risadas. Aliás, acabei de ver um comentário no youtube e concordo, se rolou um “E aí..Comeu ?”, por que também não ter um “E aí…Deu?” pra botar mais lenha nessa fogueira? Ah, e curtam nos créditos o “Seu Jorge” colocando uma das teorias levantadas no filme em prática, bem ao seu estilo.

 

E aí..Comeu ?, Brasil, 2012 – 100 min

Elenco: Bruno Mazzeo, Marcos Palmeira, Emílio Orciollo Netto, Dira Paes, Juliana Schalch, Tainá Müller, Laura Neiva, Seu Jorge.

Direção: Felipe Joffily