Crítica: Marcados para Morrer

Galera filmes de violência urbana são sempre legais justamente pelo o seu tema. Eu não sei quanto a vocês mas eu me amarro, principalmente em peças do estilo mais elaborados como Snatch – Porcos e Diamantes, ou como Dia de Treinamento, trabalho que David Ayer dirigiu antes deste. E aqui em Marcados para Morrer (End of Watch), Ayer nos entrega um filme onde ele leva essa violência ao seu nível mais alto, de forma nua e crua.

Bem o filme mostra toda essa violência pelo ponto de vista de dois policiais , Bryan Taylor (Jake Gyllenhall) e Miguel “Mike” Zavala (Michael Peña), e seus afazeres diários fazendo as rondas na parte mais perigosa de Los Angeles. É sério, não vai muito além disso, mas a forma como é mostrada é no mínimo interessante, pois Taylor está fazendo um trabalho para a faculdade, onde ele grava com várias câmeras o seu dia-a-dia e vemos um pouco das suas vidas pessoais. Até que eles fazem uma apreensão numa batida que acaba deixando-os muito visados pela gangue mexicana, daí o título do filme (muito vacilo da tradução, entregou o plot do filme numa cartada só).

Bem, já que o filme é mostrado todo por meio das câmeras do trabalho de Taylor, então se prepare pra muita câmera tremida e todo o tipo de coisa que você que já viu [REC] e A Bruxa de Blair já deve tá acostumado, principalmente nas cenas de ação. Mas aqui o objetivo é nos colocar o mais próximo possível da ação, e da reação da dupla. Dentre outras coisas o roteiro se concentra em mostrar como funciona a parceria entre policiais, a cumplicidade beirando a irmandade, talvez muito inspirado por um outro trabalho de Ayer, Os Reis da Rua. Gyllenhall e Peña divertem com suas conversas e até que não comprometem o filme com suas atuações, e quanto ao elenco de apoio com Anna Kendrick (Sem Proteção) e Frank Grilo (recém anunciado como vilão no novo Capitão América) são apenas para isso, apoio. com eles ou sem eles ali não faria a menor diferença.

Bem, Se Vale o Ingresso ? Eu vou dizer que sim, eu curti muito. Típico filme pra você que gosta de ver como as coisas funcionam lá, pois o filme aborda muito a questão das gangues e como eles fazem tudo para que essa “Guerra” termine com o seu lado vencedor, e a polícia no meio desse fogo cruzado tentando manter a ordem, ou pelo menos tentando evitar que a violência chegue a níveis caóticos. Nesse mundo de “olho por olho” desses caras de gangue, pelo menos a nossa realidade é bem diferente disso. E podemos manter os nossos dois.

 

End of Watch, EUA, 2012 – 109 min.

Elenco: Jake Gyllenhall, Michael Peña, Frank Grilo, Natalia Martinez, Anna Kendrick.

Direção: David Ayer.