Crítica: Minha Mãe é uma Peça – O Filme

Uma das fontes principais de adaptações de filmes brasileiros vem sendo famosas peças de teatro, tal qual foi Divã e alguns outros filmes que vem despontando em nosso mercado. E, inspirado fortemente no sucesso do filme com Lília Cabral, Paulo Gustavo se uniu ao diretor André Pellenz para tornar Minha Mãe é uma Peça em um filme. E tal esforço do ator, que também é responsável pelo roteiro da fita, é super bem recompensado nas telonas.

Assim como a peça, a história é centrada em Dona Hermínia (Gustavo), uma aposentada moradora de Niterói que não tem absolutamente nada pra fazer da vida a não ser cuidar dos filhos, Marcelina (Mariana Xavier) e Juliano (Rodolfo Pandolfo), já que o mais velho, Garib (Bruno Bebianno), já tá casado e mora em Brasília. Após ouvir uma conversa dos filhos com o pai Carlos Alberto (Herson Capri) e sua atual mulher Soraia (Ingrid Guimarães), Dona Hermínia vai pra casa de sua tia, Zélia (Suely Franco), para rever sua relação com seus rebeldes filhos.

Sendo um filme, ele precisa preencher certas lacunas que na peça teatral, e se utiliza de flashbacks pra isso. Então o filme é uma colcha de retalhos de flashbacks, para que o espectador conheça melhor os personagens em questão, e se envolva nos dramas que as mães acabam vivendo por nossa causa. Tudo isso de forma super exagerada e hilária da personagem principal. Que é de longe a melhor coisa do filme, Paulo e sua personagem levam o filme nas costas, com sua língua sem papas e seus trejeitos, cada palavra que sai da boca dela é risada certa. O roteiro é bem feito, mas se estende demais, justamente tentando preencher as lacunas teatrais. Os personagens coadjuvantes também são legais, só acho que a Alexandra Richter podia ser mais usada, a cena delas é hilária.

Tirando essa e outras falhas (tipo o filme se passar em Niterói mas claramente ter sido gravado no Flamengo, Zona sul do RJ. Quem conhece vai identificar o bairro rapidinho), Minha Mãe é uma Peça cumpre sua função de divertir e ainda presta uma bonita homenagem às mães e todo o esforço que elas fazem por seus filhos. Mas como uma mãe como Dona Hermínia, quem precisa de madrasta !

 

Minha Mãe é uma Peça – O Filme, Brasil, 2013 – 85 min.

Elenco: Paulo Gustavo, Herson Capri, Ingrid Guimarães, Mariana Xavier, Rodolfo Pandolfo, Alexandra Richter, Suely Franco.

Direção: André Pellenz;