Crítica: O Lado Bom da Vida

Nesse domingo, dia 27/01, fui fazer algo que não fazia há pelo menos uns 10 anos: Pegar uma sessão dupla de cinema! Primeiro João e Maria (pra quem ainda não viu, confira a nossa crítica) e em seguida, para conseguir dormir a noite depois de ver tanto sangue e cabeça de bruxa rolando, O Lado Bom da Vida. Sabe aquela frase “Odeio ser bipolar, acho bem legal“? Então, ela é bem explicada no filme.

O filme, baseado no livro de mesmo nome, conta a história de Pat Solitano Jr (Bradley Cooper), um homem que após um incidente perde tudo: Casa, emprego e mulher. Ele é condenado a ficar internado por oito meses em um hospital psiquiátrico para controlar sua recém descoberta bipolaridade. Após sair do hospital, Pat volta a morar com os pais (Robert De Niro e Jacki Weaver), tendo como lema de vida a positividade ou ‘’ Excelsior!’’ e seu objetivo reconquistar a (ex) esposa, de quem ele tem uma ordem de restrição não podendo chegar a 150 m dela. Em um jantar nada convencional na casa de um amigo ele conhece a linda e problemática Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher agressiva, que não se conforma com a morte abrupta do marido e, igual a ele, bipolar. Os dois se envolvem em um projeto que poderá beneficiar ambos, e mudar a vida dos dois (Nossa Gabs, que profundo…).

Eu tenho que confessar que sou apaixonada por histórias que conseguem arrancar a comédia de uma situação dramática, e é exatamente isso que o filme faz. Pode não ser um enredo revolucionário como muitos mimizentos disseram para contrariar a indicação ao Oscar, porém a atuação de ambos e a química entre Bradley Cooper e Jennifer Lawrence (os dois estão lindos no filme, chora sociedade!) faz o filme ser muito especial! As cenas entre os dois no começo do filme, aonde a bipolaridade fala mais alto, são hilárias e com um ritmo muito bom. O elenco de apoio também é sensacional, especialmente Robert De Niro como o pai com TOC e supersticioso de Pat (sim, só tem maluco no filme… mas de perto quem é normal?)

Indo contra o padrão super de Hollywood (super heróis, super vilões, super explosões…) O Lado Bom da Vida é um filme simples e realístico, com um enredo simplificado e com atuações memoráveis. Não acho que seja um filme que agrada a todos, por ter um ritmo e um humor diferente, mas com certeza ao ver o filme nós podemos entender as diversas indicações ao Oscar.  O casal principal dá um show de interpretação, transformando o filme em uma história sensível, romântica e engraçada; mereceram muito a indicação ao Oscar, e eu to torcendo para ganharem! O elenco de apoio acaba virando elenco principal também por ter personagens tão diferentes, carismáticos e emocionantes (Como não se emocionar com o sofrimento da mãe de Pat?). Indico esse filme a todos, é um filme muito gostoso de assistir, especialmente para aqueles que gostaram de filmes como Pequena Miss Sunshine!

O Lado Bom da Vida foi indicado ao Oscar de Melhor Filme, Diretor, Ator (Bradley Cooper), Atriz (Jennifer Lawrence), Ator Coadjuvante (Robert De Niro), Atriz Coadjuvante (Jacki Weaver), Roteiro Adaptado e Edição. Agora é só esperar, e ver quantas estatuetas vão levar para casa…

 

Silver Linnings Playbook2012 – 120 min.

Direção: David O. Russel

Elenco: Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Chris Tucker, Julia Stiles, Shea Whigham, Anupam Kher, Jacki Weaver, Dash Mihok.

Gênero: Comédia/Romance/Drama