Crítica: Os Candidatos

Galera em época de eleições (e dependendo de que região você está lendo vai ter que passar por isso mais uma vez), tanto aqui em Terra Brasilis quanto lá nos States, é interessante que surja uma comédia como os Candidatos, que vem pra mostrar o verdadeiro circo eleitoral, um enorme (e caro) festival de baixarias e lavagem de roupa suja como a política realmente é. Mas vou tentar conter o meu lado político (que pouco existe) para falar somente do filme.

A comédia mostra a carreira de sucesso do deputado Cam Brady (Will Ferrel), com todo o seu “sorriso político” e discursos ensaiados, ate´que um escândalo político em época de eleição o deixa bastante sujo com os seus patrocinadores, os irmão Motch (Dan Aykroyd, que é impossível que ainda esteja pensando em fazer Caça-Fantasma 3 do jeito em que ele se encontra, e John Lithgow). Temendo que Brady não seja reeleito, os irmão decidem dar apoio a um novo candidato, Marty Huggins (Zach Galifianakis), pacato e ingênuo pai de família, ou seja, o candidato perfeito para as manobras políticas planejada pelos irmãos.

Admito que este era um filme que eu esperava muito pra ver, e acabei me decepcionando um pouco. Tá, o filme apresenta um elenco excelente, em especial para o assessor/ninja de Dylan McDermott (suas súbitas aparições são hilárias), e as situações em que os dois se colocam com intuito de mostrar que estão dispostos a tudo para ganhar também são hilárias, mas o filme peca no seu ritmo. Se fosse uma daquelas comédias mais antigas, tipo Trocando as Bolas (que se parece muito com este, e tem Aykroyd no elenco), seria excelente, mas hoje nós estamos acostumados com um ritmo de comédia mais rápido.  Mas ao que o filme se propõe, mostrar os absurdos das campanhas políticas ( assim como o prórpio cartaz diz, “eles são farinha do mesmo saco”) ah, isso Os Candidatos faz e muito bem. Só a cena do bebê mostra isso.

Não é um filme ruim, pelo contrário, só ficou um pouco abaixo do que eu esperava. A sátira política com toques políticos atuias ficou bem equilibrado, mas o ritmo da comédia é que ficou lenta, tornando o filme um pouco cansativo. Se vale a pena o ingresso ? Cara, ainda assim acho que vale sim, pois é bom pra gente descobrir aonde o como o nosso dinheiro de contribuinte é usado nessas palhaçadas eleitorais. Se os filmes podem nos instruir em alguma coisa, que também nos ensinem a ter atenção política. E usando da arma mais poderosa, a comédia.

 

The Campaign, EUA, 2012 – 85 min.

Elenco: Zach Galifianakis, Will Ferrell, Sarah Baker, Katherine LaNasa, Jason Sudeikis, Dylan McDermott, Dan Aykroyd, Brian Cox, John Lithgow.

Direção: Jay Roach.