Crítica: Os Mercenários 2

Os Mercenários 2 é aquele tipo de filme pra você assistir com seu cérebro em stand by e curtir muito do início ao fim. E não entenda isso como um ponto negativo, longe disso, porque a fita é a comédia de ação mais incrível dos últimos anos!

Não, você não leu errado, eu realmente escrevi comédia. Isso porque, diferente do primeiro filme, que ainda tentava se levar (um pouco) a sério, na sequência tudo é motivo de brincadeira e as piadas brotam a todo momento. Pra começar, o nome do vilão interpretado pelo Van Dame se chama Vilain! Se isso não é o bastante pra você, temos o Schwarzenegger disparando mais frases de efeito do que balas, Terry Crews em mais momentos comédia do que no filme anterior e o que dizer da participação do lendário Chuck Norris com direito até a um #chucknorrisfact.

Mas não pense que o filme é só um bando de velhos fazendo piadinhas o tempo todo, porque rola também muita ação, tiros, explosões e muito sangue. A violência nas cenas é bem exagerada, com cabeças que explodem quando são atingidas por balas (e isso acontece muito, principalmente na cena dos barcos), sangue jorrando aos litros e um pobre coitado que é metralhado numa das cenas que merece entrar para a história dos filmes de ação.

A história (sim, o filme tem uma) se divide basicamente entre as missões da equipe comandada por Barney Ross (Sylvester Stallone). A primeira, no Nepal, mostra os mercenários fazendo uma missão de resgate. Sem muitos detalhes para evitar spoilers, somos apresentados ao novato do time, Billy the Kid (Liam Hemsworth). Diferente do que muitos possam imaginar, o garoto manda muito bem no meio dos coroas e é um personagem muito mais interessante do que alguns membros já conhecidos da equipe. Depois de receber uma visita indesejada do Sr. Church (Bruce Willis), Barney tem que partir com seu bando para uma segunda missão, em que conhecemos mais uma estreante, Maggie (Yu Nan). As coisas não saem como se esperava ao encontrarem o grupo comandado pelo vilão Vilain (cara, que nome genial), e os mercenários partem numa terceira missão, como um bom clichê do gênero nos anos 80, atrás de vingança, porque a coisa agora é pessoal!

Se formos comparar com o filme anterior, Os Mercenários 2 é muito melhor em vários aspectos. As cenas de ação são mais impactantes e memoráveis, as piadas são mais engraçadas, o roteiro assinado por Richard Wenk e pelo Stallone tem um plot mais interessante (afinal, uma vingança sempre cai bem nesse gênero) e a direção, agora nas mãos de Simon West, parece mais segura. Apesar das falhas técnicas bizarras, por conta dos efeitos especiais e fotografia completamente toscos, o filme acaba empolgando mais do que o primeiro, que tinha a direção do próprio Stallone.

Mas aí você me pergunta, vale o ingresso? Bom, se você cresceu vendo os filmes desses caras nos bons tempos da Sessão da Tarde, essa verdadeira obra-prima da ação vai ser de pura nostalgia, então, sim, definitivamente vale muito o ingresso. Mas não vá esperando um roteiro inteligente, coerente e que vai mudar a sua vida. Vá simplesmente para ver uma homenagem aos filmes de ação dos anos 1980. Ah, e se você é mais jovem e não tem ideia do que seja Braddock ou Comando para Matar, vale também pela diversão, mesmo que a ideia de um bando de velhos fazendo miséria possa te incomodar.

 

The Expendables 2, EUA, 2012 – 102 min.

Elenco:
Sylvester Stallone, Jason Statham, Dolph Lundgren, Terry Crews, Randy Couture, Yu Nan, Chuck Norris, Liam Hemsworth, Jean-Claude Van Damme, Bruce Willis, Arnold Schwarzenegger, Jet Li, Scott Adkins e Charisma Carpenter.

Direção:
Simon West