Crítica: Oz – Mágico e Poderoso

Galera Oz – Mágico e Poderoso (Oz – The Great and Powerful) traz de volta todo aquele fascínio da Terra de Oz, e uma das preocupações principais que ouvi durante a divulgação desse filme, que fui obrigado a concordar e passei a temer igualmente, era de que a mítica Terra ficasse muito parecida, senão igual, ao País das Maravilhas da Alice mostrada por Tim Burton. Mas como Sam Raimi é menos birutado que o já citado (e excelente) diretor, Oz é uma boa aventura e tem um visual lindo.

Bem a aventura nos apresenta Oscar “Oz” Diggs (James Franco), um mágico farsante que passa os seus dias no circo tomando dinheiro dos pobres que acreditam em seus truques, maltratando o seu ajudante (Zach Braff) e enganando mulheres para o seu bel prazer. Até que, fugindo do irmão de uma das tantas que enganou, chegou acidentalmente na Terra de Oz. Lá, ele é recepcionado pela bela Bruxa Theodora (Mila Kunis), que lhe conta que ele é o salvador que todos esperavam. Mas com todos os seus desvios de caráter, Oz talvez precise mudar o seu comportamento para poder salvar a terra de Oz da Bruxa Malvada.

O filme é muito bonito, mas talvez eu tenha ido com uma expectativa que me deixou um tanto decepcionado. Não me entenda mal, eu gostei, e gostei muito, mas achei que o filme seria mais do que foi. Como já disse, a Terra de Oz em nada lembra o País das Maravilhas, e Sam Raimi também sabe usar os elementos sinistros de Oz, e se permite um pouquinho de terror no filme, mesmo que seja mais comedido, afinal é um filme para o público infantil em geral. O filme tem uma sacada muito legal que sua cena inicial é toda em preto-e-branco, para depois abrir no lindo colorido da Terra de Oz, me lembrou Tron – O Legado, em que as cenas no mundo normal eram 2D para depois virarem 3D. 3D aliás que é muito bem utilizado, principalmente para mostrar a profundidade da Terra e as tais “mágicas” de Oscar.

As atuações estão bem legais, é dificil decidir qual bruxa é a mais bela. Tanto Kunis quanto Rachel Weisz e Michelle Williams estão lindas e fazem o seu papel muito bem. James Franco manda bem no seu mágico, nunca fugindo do personagem e sutilmente transformando-o do personagem que começou para o que terminou o filme. E o roteiro traça vários paralelos entre o Oz em Kansas e o Oz em…bem, Oz, que facilitam essa transição ao personagem. Se Vale o Ingresso ? Vale sim, é uma ótima aventura e um excelente passatempo para a família. Bem que a Dorothy podia ter feito uma pontinha…

 

Oz – The Great and Powerful, EUA, 2013 – 130 min.

Elenco: James Franco, Mila Kunis, Michelle Williams, Rachel Weisz, Zach Braff, Abgail Breslin, Joey King.

Direção: Sam Raimi.