Crítica: Rock of Ages

Galera “desde que o samba é samba” e que eu me entendo por gente se tem um gênero de filme que eu detesto é Musical. Sei lá cara, ver todo mundo cantando e dançando aparentemente sem motivo (embora sim, tenha um motivo, que é complementar a história) sempre me deixava constrangido, ou algo assim. Ou vai ver eram as músicas que tocavam, tipo Ewan McGregor cantando “Your Song” em Moulin  Rouge. Mas seja qual for o motivo que me fazia pensar assim esqueci de todos depois de ver Rock of Ages.

Bem, estamos na Los Angeles de 1987 e é nesse cenário que conhecemos o nosso casal principal, Drew (Diego Boneta), garoto de Detroit que sonha em se torna um super astro do Rock, e Sherrie (Julianne Hough), garota do interior que parte para a cidade dos anjos para (olha só) também se tornar cantora. Eles se conhecem, se apaixonam (embora eu ache que ela muita areia pro caminhãozinho dele) e correm atrás dos seus sonhos movidos à muito rock n’ roll.

Cara, vou começar dizendo que o filme é uma agradável surpresa. Apesar de não gostar de musicais sempre me impressiona a capacidade de usarem música como parte da história e aqui ver os personagens cantando clássicos do rock como “Here I go Again” e “I Love Rock n’Roll” é muito legal, parece que você tá jogando Guitar Hero, nota máxima pra direção de Adam Shankman. Mas boa parte desse crédito vai mesmo para os atores e seus personagens. Todos estão hilários, desde o dono da Bourbon interpretado por Alec Baldwin, até o inescrupuloso empresário de Paul Giamatti. E ver a carola de Catherine Zeta-Jones cantando “Hit me with your best Shot” é muito divertido. Mas vou dedicar este pedaço pra resumir toda essas boas atuações com um só nome: Tom Cruise. Seu Staciee Jaxx (total paródia de Axel Rose, só a abertura do filme, com ele cantando Paradise City e o próprio visual do personagem já provam isso) é impagável aqui Cruise mostra que tem gogó pra caramba. Ele cantando “Wanted Dead or Alive” do Bon Jovi já vale o filme.

Então não se surpreenda se durante o filme você se vir batendo pézinho e cantando as canções, o filme é extremamete divertido e contagiante. Fica meio arrastado quando entra na sua parte final, mas é como você estar no show da sua banda favorita: às vezes vem aquela sequência de músicas que você não curte tanto, mas o final sempre faz a gente pular. Até tive vontade de abrir o meu aplicativo da vela no celular. Se vale o ingresso ? É claro, nem pense duas vezes.

 

Rock of Ages, EUA, 2012 – 123 min.

Elenco: Diego Boneta, Julianne Hough, Mary J. Blidge, Paul Giamatti, Bryan Cranston, Russel Brand, Malin Akerman, Catherine Zeta-Jones, Alec Baldwin, Tom Cruise.

Direção: Adam Shankman.