Crítica: Se Beber, não Case! – Parte 3

Em 2009, fomos apresentados ao primeiro “Se Beber, não Case!” com uma proposta que todos já se viram ou pensaram em fazer: A Festa de despedida de solteiro máxima. Fomos apresentados ao trio Phil (Bradley Cooper), Stu (Ed Helms) e Alan (Zach Galifianakis) – o “Bando de Lobos” – e os seguimos por toda Las Vegas enquanto eles corriam atrás de seu amigo Doug (Justin Bartha) – que estava há 24 horas de se casar – sem se lembrarem de nada da noite anterior. As situações hilárias e inteligentes, uma mais louca do que a outra, foram muito bem recebidas pelo público. Com o sucesso do primeiro, uma segunda parte veio em 2011 e agora o grupo volta para a última aventura. Mas já havia sido anunciado que não haveria casamento. Então, como seria essa última aventura do Bando de Lobos?

Bem, acontece que a vida seguiu para todos, menos para Alan, que está cada vez mais surtado e arranjando problemas, até que seu pai falece. Então, a turma decide levá-lo a uma clínica para se tratar, mas no meio da viagem, eles são atacados por Marshall (John Goodman), uma chefão do crime que rapta Doug e dá uma missão ao trio: eles tem 3 dias para achar o Sr. Chow (Ken Jeong) e recuperar a grana que ele lhe roubou.

Você pode pensar que o filme perde a graça por não ser aquilo que o primeiro e o segundo foram, uma hiper-ressaca seguida de amnésia após uma farra, mas o filme não deixa de ser engraçado, pois as piadas são geradas pelas situações em que eles se metem, e as situações são hilárias. Algo que eu não gostei do segundo filme foram que as situações e piadas eram um tanto pesadas e forçadas, achei aquilo tudo apelativo demais, mas o diretor Todd Phillips deve ter percebido isso também e dessa vez puxou o freio de mão, tornando este mais parecido com o primeiro.

Aliás, o próprio retorno da franquia a Vegas, onde tudo começou, é a prova disso. O roteiro também nunca esquece dos filmes anteriores, e até muitas boas piadas são geradas disso. Zach Galifianakis e Ken Jeong roubam a cena – estão hilários – e o filme é muito centrado na relação entre os dois personagens. Bradley Cooper e Ed Helms mantem o bom trabalho dos filmes anteriores e também tem seus momentos, principalmente Cooper. E mais uma vez sobra para o coitado do Doug ficar “de fora” das aventuras, mas é bom que o personagem nunca é de fato deixado de lado.

O elenco de apoio também não deixa a desejar. John Goodman é um vilão mais interessante do que Paul Giamatti foi no segundo filme. E é legal ver o retorno de personagens do primeiro filme, como a prostituta Jade (Heather Graham) e o Doug “negão” (Mike Epps), pois dá um senso de continuidade bem legal quando a gente assiste os três filmes em sequência.

Enfim, essa Parte 3 encerra com bastante estilo a trilogia do Bando de Lobos. Pode até não ser o melhor de todos, mas não fica devendo nada aos filmes anteriores. E até chega a voltar às origens na sua última cena – fiquem ligados pra não sair correndo no final do filme. Se vale o ingresso? Vale a conferida com certeza. Dá até vontade de ir correndo pra um bar e encher a cara, mas não façam isso, viu, gente!

 

The Hangover! – Part 3, EUA, 2013 – 100 min.

Elenco: Ed Helms, Bradley Cooper, Zach Galifianakis, Justin Bartha, John Goodman, Melissa McCarthy, Heather Graham, Mike Epps, Ken Jeong.

Direção: Todd Phillips.