Crítica: Valente

OLÁ BEUS ABOREES! Voltei, podem parar de chorar já. Estive ausente porque vida de escravo não é difícil, mas de universitário…Vá fazer publicidade, eles disseram. Vai ser fácil, eles disseram! Mas juro que não vou mais abandonar meus milhares de fãs (cof cof cof) novamente. E como vocês repararam Tia Andy Estagiaria agora está atendendo por outro nome… Gabs Iba. Ainda estagiária, mas agora atendendo pelo meu nome real (Não, meu nome não é Gabs, é Gabriela sempre Gabriela. E sim, meu sobrenome é Iba.).

Chega de mimimi e vamos falar sobre uma das animações mais esperadas de 2012: Valente! E posso adiantar que quem estava ansioso não irá se decepcionar… VEM GENTE!

O enredo do filme se baseia em uma pergunta: ‘’Se você pudesse mudar seu destino… Você mudaria? ‘‘.

Merida é uma princesa de contos de fadas nem um pouco convencional. Filha do Rei Fergus e Rainha Elionor, e irmã de três lindos pestinhas, Merida é uma arqueira excepcional, com seus cabelos ruivos encaracolados soltos e rebeldes e não aceita muito bem ordens, principalmente de sua mãe. Ela simplesmente não aceita que um dia será rainha e terá que agir como uma dama. A relação fica ainda pior quando a Rainha Elionor avisa sua filha que os primogênitos de 3 clãs irão competir pela sua mão, e ela terá que se casar com o vencedor.

A competição será decidida, por uma esperta decisão de Merida, no arco e flecha. O caos se instala quando a princesa decide competir pela sua própria mão, e deixa os 3 lordes e seus filhos chocados porque:

a) Ela vence todos eles e

b) Uma princesa não deveria se comportar dessa forma!

Mas Merida não é uma princesa qualquer, e quer lutar pelo seu próprio destino. Furiosa com sua mãe que não a entende, acaba indo procurar uma bruxa para fazer um encanto… A partir daí nossa heroína tem que usar toda sua bravura para consertar o que ela mesma causou. E paro por aqui porque né, spoiller não é bom e ninguém gosta.

Que animação MA-RA-VI-LHO-SA! É o primeiro conto de fadas produzido pela Pixar e que tem uma personagem principal feminina. O desenho beira a perfeição na qualidade (Isso porque eu vi em 2D), as personagens são bem mais reais do que as princesinhas sem sal de antigamente (Por exemplo a Rainha que tem cabelo branco e um pouquinho de rugas, e Merida que tem quadris largos e cabelo crespo… e ainda sim sambam na cara de todos), os personagens são carismáticos (Rei Fergus e os trigêmeos que os digam). Essa foi provavelmente a história mais madura da Disney-Pixar, com um enredo profundo e original (E a princesa mais legal e hardcore que já foi feita). Indico para crianças, que vão adorar as aventuras de Merida, e à adultos que querem se emocionar com essa nova princesa, que não precisa de nenhum príncipe para salvá-la.

Ps.: As homenagens ao criador e mentor da Pixar, Steve Jobs, estão presentes ao longo de Valente. Um dos lordes que representa um dos três clãs é o Lord Macintosh… Não preciso dizer mais muita coisa né, é só prestar atenção ao sobrenome. E ao final do filme, nos créditos, há mais uma homenagem para o nosso amado Steve Jobs… Ele pode até ter morrido, mas suas influências nunca serão esquecidas.

 

Título Orginal: Brave

Lançamento: 2012 (EUA)

Direção: Brenda Chapman e Mark Andrews

Elenco: Billy Connolly, Callum O’Neill, Craig Ferguson, Elidh Fraser, Emma Thompson, John Ratzenberger, Julie Walters, Kelly Macdonald, Kevin McKidd, Patrick Doyle, Peigi Barker, Robbie Coltrane, Sally Kinghorn, Steve Purcell, Steven Cree.

Duração: 100 min.

Gênero: Animação/ Aventura