Resenha: A Saga Crepúsculo – Amanhecer Parte 1

Antes de começar, quero deixar bem claro que eu não odeio a Saga Crepúsculo e nem sou uma fã. Não vou analisar psicologicamente falando que a Bella reforça a imagem de mulher frágil e que o Edward é machista. Muito menos vou falar que vampiro de verdade era diferente. E não, eu não me acho uma idiota por ter lido e visto todos os livros/filmes.

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte 1 começa com o grande evento que é o casamento de Bella e Edward e que para a minha pessoa, que leu o livro, ficou maravilhoso na adaptação. Eu achei as cenas do casamento bem emocionantes, muito bem feitas e de uma beleza absurda. A partir daí começa a parte mais divertida do filme que é a lua de mel no Rio de Janeiro e mais caliente também. Ponto alto para a cena da primeira vez deles, que ficou super envolvente, e para as inúmeras vezes que Bella tenta convencer Edward a encostar nela novamente. Confesso que ficou mais engraçado do que eu imaginei, e achei a química da Kirsten e do Robert nesse filme acima da média.

Então, *música de suspense* Edward ouve aquela frase que todo namorado/recém casado sonha em ouvir: minha menstruação está atrasada. Daí é só ladeira abaixo, pois quase todos querem que Bella tire “a coisa”, mas ela tem um amor pelo bichinho tão grande que quase morre pra que ele venha ao mundo. Mais palmas para a adaptação da gravidez medonha de Bella, a barriga toda roxa e retorcida e ela com cara de morte, não podia pensar em algo melhor. Senti falta de um pouco da narração do Jacob, porque no livro é bem engraçada. O parto da pequena e fofa Renesmee é BEM tenso e muito bem feito, mais uma vez uma ótima adaptação do livro. Mais pontos extras pela tensão entre os lobisomens.

O filme é muito bom, e quem leu o livro eu posso garantir que não vai se decepcionar. E para quem não conhece, é um bom entretenimento. Tô louca de ansiedade para ver a Parte 2 e tenho certeza que vou chorar rios assim que acabar, pois sou emotiva com sagas (vide Harry Potter).