Resenha: A Última Ressaca do Ano

O espírito da zoeira ataca novamente. Filmes que experimentam essa máxima libertação (do tipo de loucura que todos nós queremos fazer) e ainda reúnem um bom elenco já valem pelo menos a conferida. E se ele consegue ser divertido e sem exageros… peraí, do que eu tô falando? Exagero é a palavra-chave em A Última Ressaca do Ano!

No filme, a empresa de tecnologia de Clay (TJ Miller) está indo de mal a pior e para piorar, sua irmã, a megera Carol (Jennifer Aniston), resolve cortar os gastos e fechar a filial de Clay. Então, para salvar a filial preferida de seu pai e o emprego de todos os funcionários, Clay resolve fazer algo inusitado: dar uma super festa de Natal, tanto para os funcionários quanto para impressionar Walter Davis (Courtney B. Vance), a pessoa com quem eles poderiam fechar um mega contrato que salvaria a empresa. E como toda boa festa, ela sai um pouco de controle.

Primeiro ponto positivo desse filme: um elenco que não é maior que as situações geradas por ele e também nomes que raramente estão envolvidos com comédias. As situações geradas é que tem que levar o filme pra frente e é exatamente isso que acontece. Ver os personagens se enfiando em uma situação esdrúxula após a outra é a graça aqui, e acredite, são muitas. Só achei que, por se tratar de uma comédia de situações inusitadas, deveria ser uma coisa mais seguindo o exemplo de “Se Beber, não Case!”. Aqui, ainda vemos muito de história e resoluções ao longo do filme, como o relacionamento Josh (Jason Bateman) e Tracy (Olivia Munn), as questões mal resolvidas dos irmãos Clay e Carol e o próprio salvamento da empresa. Acho que perde-se um tempinho considerável armando a preparação para isso e deixa de lado a loucura da festa, que é o que queremos ver aqui.

No fim, A Última Ressaca do Ano, mesmo com seus pequenos problemas, diverte com todos os seus estereótipos de trabalho de escritório, sendo uma espécie de The Office mais louco. Toda a diversão que ele se compromete a dar, ele cumpre. E em se tratando de comédias, isso já é mais do que muitas fazem.