Resenha: O Touro Ferdinando

O Touro Ferdinando é uma adaptação de uma história publicada no início do século passado, Criado em 1936 na forma de um livro infantil de enorme sucesso teve sua primeira adaptação ainda na década de 30 num curta-metragem pela Disney e agora volta aos cinemas junto com a FOX Film e nas listas de premiação entre as melhores animações, colocando o brasileiro Carlos Saldanha em destaque como diretor.

Como toda animação traz uma mensagem Nando, o nosso tourinho, apesar de ser do século passado nos mostra que mesmo sendo de uma raça ou de natureza não somos obrigados a seguir padrões, Nando é grande de tamanho e também de coração e seu jeito pacifista conquista pessoas e animais, porem deixa irritado sua raça por não querer participar das touradas. Se no passado lançado às vésperas da Guerra Civil Espanhola, hoje nos mostra a conscientização em relação ao bem-estar animal, e também sobres a guerras que está havendo.

E através da simplicidade, nada forçado e sem superficialidade as produções da Blue Sky e de Saldanha atingem a nota certa, mesclando cenas verdadeiramente engraçadas, nas quais o humor funciona também para os adultos, e nos momentos emotivos arrancando lagrimas dos mais sensíveis. Mais interessante ainda é notar como esses momentos fazem com que o filme avance, contando a respeito dos personagens, não sendo apenas piadas que buscam fazer com que seu público ria.

O Touro Ferdinando (Nando para os íntimos) vive uma grande aventura junto dos seus amigos e da sua melhor amiga Lupe a Cabra, provando que você não pode julgar ninguém pela sua aparência. Uma ótima pedida para ir ao cinema com a criança.