Resenha: Roubo nas Alturas

Vários filmes de comédia são lançados todos os anos, porém, poucos são os que realmente valem o ingresso que se paga. Roubo nas Alturas apostou na fórmula de um filme bem leve e divertido como há tempos eu não via.

Com Ben Stiller e Eddie Murphy encabeçando o elenco, o filme conta a história de Josh Kovacs (Stiller), o administrador de um edifício de luxo de Nova York que, assim como todos os seus funcionários, tem a sua aposentadoria roubada por um investidor mau caráter de Wall Street (Alan Alda). Quando Kovacs descobre que o criminoso de colarinho branco está em prisão domiciliar na cobertura do edifício, decide planejar um assalto ao apartamento. Para isso, paga a fiança de Slide (Murphy), um ladrão de verdade que vai ensinar alguns truques para os assaltantes de primeira viagem.

Stiller está muito bem como uma especie de Danny Ocean (dado as devidas proporções, lógico), e Murphy mostra que ainda tem o talento para comédia (os últimos filmes não deram muito certo) e acaba roubando algumas cenas. Quase não reconheci Matthew Broderick em cena e o seu personagem acabou ficando apagado perto dos dois.

O diretor Brett Ratner (A Hora do Rush) consegue trazer um filme bem leve, com piadas sem apelar para termos muito pesados. Com um elenco talentoso e um roteiro acima da média habitual, Roubo nas Alturas diverte ao fazer uma crítica bem humorada ao preço pago pelos norte-americanos por causa dos desmandos do seu setor financeiro, e que tem no personagem de Alan Alda a personificação do mal que todo americano vítima da crise econômica conhece bem.