Resenha: Se Beber, Não Case! Parte II

Para os críticos de plantão e os pseudos cults, aconselho que não vejam esse filme. Se você adorou o primeiro e quer mais um pouco dessa história divertidíssima com três personagens super carismáticos (Doug não conta, né), se joga na parte II de Se Beber, Não Case!

Mas sejamos francos: tirando algumas adaptações, o enredo é basicamente o mesmo. Um deles vai se casar – no primeiro era o Doug, agora é a vez do Stu – e eles acabam ficando muito doidos em um local – no primeiro Las Vegas, no segundo Bangkok. Toda a loucura de acordar sem saber o que houve é causada pela mesma pessoa: Alan, o gordinho sem noção, e na segunda parte, careca!

Outra “coincidência” é o fato de que se no primeiro filme eles perderam Doug, na segunda parte eles perdem o futuro cunhado de Stu: Teddy, um novo personagem que no começo parece ser só um garoto certinho, mas igualmente a Stu depois que bebe um pouco, vira um total e completo louco.

Corações ao alto para Bradley Cooper, o Phill, que continua esbanjando esse charme au naturalé dele. Nessa segunda parte temos uma participação maior de Mr. Chow, que continua sem noção como sempre. Não ignorando também a participação especial, de novo, do Myke Tyson… e dessa vez ele aparece cantando! Não posso descrever isso, vocês vão ter que ver e comprovar com seus próprios olhos e ouvidos esse circo de horror.

No geral, gostei muito do filme, dei boas risadas e torci para o Stu ser reconhecido pelo sogro pentelho dele. Recomendo a todos que querem se divertir bastante, principalmente com as fotos da noite anterior que passam ao final do filme.

Mas fica uma dúvida no ar… será que o ”pipi” do Mr. Chow é realmente daquele tamanho?