Primeiras Impressões: Defiance

Defiance é uma série “original” (depois eu explico as aspas) do canal Syfy que teve sua estreia mundial na última semana, com um episódio duplo que foi exibido por aqui na terça (16/4), pelos canais pagos Syfy e Universal Channel. A ficção científica foi criada por Rockne S. O’ Bannon, responsável pela recém cancelada Cult, e tem como diferencial o fato de ter sido lançado um game homônimo que complementa a trama da série e promete influenciar o rumo dela de acordo com as decisões tomadas pelos jogadores durante o game. Legal, não é? A ideia é boa, mas poderia ter sido melhor.

Nesta análise [SEM SPOILERS], vamos focar somente no primeiro episódio da série (o único exibido até o momento), afinal, games é uma mídia que não tratamos aqui. Para começar, Defiance não é tão original assim. A trama, se a analisarmos friamente, segue um forasteiro recém-chegado a uma cidade que acaba se tornando o homem da lei no local. Pois é, essa história já foi contata diversas vezes. O diferencial de Defiance é colocar elementos de ficção científica no meio deste argumento batido, e mesmo que eles pareçam reciclados de outras produções do gênero, a série acaba ficando bem interessante.

Logo nos primeiros minutos, somos apresentados ao cenário em que a história será contada: num futuro próximo, a Terra foi invadida por alienígenas, que mesmo sendo de várias raças diferentes, são todos chamados de Votans. Depois que o sistema deles foi destruído, eles vieram para a Terra buscando uma nova casa, mas sem saber que o planeta já era habitado, acabaram entranto em conflito com os humanos. A maioria dos alienígenas permaneceu no estado de hibernação em suas naves (as Arcas) na órbita da Terra, enquanto outros tentavam chegar a um acordo com a raça humana.

No entanto, a situação que já era hostil, ficou ainda pior com o “Arkfall”, evento em que a frota de naves dos Votans explodiu misteriosamente e milhões morreram enquanto dormiam. Com os destroços das arcas caindo no planeta, a tecnologia de terraformação dos aliens acabou alterando completamente o meio ambiente, criando novas espécies de animais e plantas. A Terra passou então, a ser um local perigoso para todos os seus habitantes, tanto os humanos quanto os Votans que passaram a viver aqui.

É nesse ambiente hostil que estão os protagonistas, o ex-militar humano Nolan (Grant Bowler) e sua filha adotiva e companheira de viagem, a votan Irisa (Stephenie Leonidas). Eles são apresentados numa cena que resume bem o relacionamento complexo entre os dois e que dá uma motivação legal aos personagens. Depois de enfrentar alguns problemas no caminho, eles chegam à cidade de St. Louis, agora chamada de Defiance. No local, os humanos e os Votans vivem em certa harmonia, mas logo fica óbvio que a cidade não é nenhum paraíso.

Com todos esses elementos que dariam um grande filme, é claro que Defiance sofre com a qualidade dos efeitos especiais. Mesmo com um orçamento alto para os padrões da TV, os efeitos ficam longe da perfeição, mas em nenhum momento a produção abre mão de mostrar naves, alienígenas e até um exército de robôs que contribuem para alguns dos momentos mais legais do primeiro episódio.

O problema de Defiance, no entanto, não está na qualidade dos efeitos especiais, mas sim no fato da produção ter se preocupado tanto com eles e com o visual da série, que acabou deixando o roteiro um pouco de lado. Apesar de ter diversas raças alienígenas e alguns personagens interesantes para se explorar, o primeiro episódio decidiu dedicar muito tempo a uma versão genérica de Romeu e Julieta, que sinceramente, parece ter sido colocada lá só para tentar conquistar o público adolescente. Nada contra, mas não parecia que Defiance iria por este lado (afinal, isso não é uma série do CW).

O que ficou de positivo nessa primeira impressão de Defiance é que a série tem potencial para se tornar algo realmente muito bom. Mas por conta do roteiro, isso ainda não aconteceu, e é nesse quesito que a produção precisa focar se quiser melhorar daqui para frente. A primeira temporada terá 13 episódios, e a esperança dos fãs de sci-fi (como eu) é que os próximos capítulos da história de Nolan e Irisa sejam melhores e que a série consiga seguir em frente.

E aí, vale a pena assistir? Bom, é difícil analisar uma série apenas pelo piloto, mas eu diria que vale dar uma chance a Defiance se você é fã do gênero de ficção científica. Se não, o frágil roteiro não vai segurar a sua atenção.

Eu vou continuar acompanhando, e conforme a série for avançando, darei um veredito final sobre Defiance.

[ATUALIZADO] Eu sei que prometi acompanhar a série para dar o veredito, mas após assistir ao sexto episódio, a conclusão é de que NÃO DÁ MAIS para continuar. A trama não foi a lugar algum e o roteiro continua fraco. Uma pena, pois tinha potencial para ser uma boa ficção científica. Boa sorte para quem vai continuar acompanhando.

Defiance vai ao ar no Brasil pelo canal pago Syfy.