Primeiras Impressões: Punho de Ferro

A Netflix, gente fina como é, liberou pra gente 6 episódios de Punho de Ferro, a mais recente série da sua parceria com a Marvel e que estreia na próxima sexta-feira (dia 17/03). Aqui não vamos dar spoilers destes primeiros episódios, mas vamos dizer basicamente como é o clima da série e o que você deve esperar. E já de cara, se você está esperando uma espécie de versão Jet Li da Marvel, esqueça.

A série se concentra em Danny Rand (Finn Jones) e tudo que seu súbito retorno, após se passar 15 anos dado como morto, traz àqueles ao seu redor. Em especial, como Danny, após passar todos esses anos em um monastério, vê essas pessoas que lidam com o mundo cão empresarial, enquanto ele tenta provar que é realmente quem diz ser e se aproximar das pessoas com quem cresceu e toma como a única família que lhe restou.

Essa construção se dá muito mais envolvendo o seu psicológico, com vários momentos de distúrbios em sua cabeça. Os primeiros 6 episódios abrem pouco espaço para a ação, mas ainda assim ela existe. A série se preocupa muito mais em usar todo o seu tempo para construir as relações entre os personagens. Isso pode dar um ar meio arrastado para a série, mas achei totalmente necessário, principalmente porque Punho de Ferro tem duas missões: além de se sustentar por conta própria, até com o intuito de se manter para possíveis próximas temporadas, ela precisa pavimentar o caminho para a próxima série, Os Defensores. E já fica claro que é daqui que deve sair o vilão principal que forçará à aliança entre os quatro heróis.

O criador da série, Scott Buck, disse em entrevistas que foi Demolidor (a primeira série Marvel/Netflix) que o instigou à fazer Punho de Ferro. E não há dúvidas de que ela remete muito a Demolidor, inclusive trazendo de volta personagens que já haviam sido apresentados. No entanto, a ação deixa a desejar, pelo menos não há nada ainda que nos mostre que Danny Rand veio para ser a Arma Viva.

Com esses primeiros episódios, Punho de Ferro chega com um ritmo legal e interessante. Esperamos que o segundo arco da série, que com certeza deve trazer mais do vilão e uma ligação mais forte para a série dos Defensores, dê o gás necessário para ela ter o ponto certo de ação, bons personagens e bom enredo que vimos em Demolidor.