Resenha: Marvel’s Agent Carter

Embora suas séries ainda não tenham o primor de qualidade da “Distinta Concorrência”, a Marvel está procurando trabalhar com uma estratégia bem legal, que é manter sempre a atenção do fã e espectador voltada para os seus produtos. Enquanto Agents of S.H.I.E.L.D. entrou na pausa para as festas de fim de ano, ela resolveu experimentar um formato diferente, utilizando a Agente Carter, uma personagem que se tornou querida dos fãs e peça fundamental da história do universo cinematográfico da Marvel.

Nessa primeira temporada, vemos Peggy Carter (Hayley Atwell) um ano após os eventos passados no primeiro filme do Capitão América, ainda se recuperando da perda do seu amado e trabalhando para a Reserva de Estratégia Científica, mas não sendo levada a sério por ser uma mulher se inserindo em um mundo totalmente masculino, mesmo sendo mais capaz do que a maioria de seus colegas. Ela recebe um pedido de ajuda de seu amigo Howard Stark (Dominic Cooper), que teve seus experimentos mais perigosos roubados de seu cofre pessoal e está sendo procurado pela RSS por vender armas para inimigos. Howard põe ao dispor da agente seu mordomo pessoal, Edwin Jarvis (James D’Arcy), para que juntos possam inocentar Stark, achar os itens roubados e descobrir quem está por trás de tudo.

O primeiro ponto pra Marvel é o que todos já estão carecas de saber: a construção do universo. Até mesmo as pequenas participações de Dominic Cooper e do Comando Selvagem fazem aquele mundo parecer de verdade. O segundo ponto é a iniciativa de uma série menor com um personagem menor (entenda “menor” como “não sendo um super-herói”). No entanto, mesmo tendo apenas 8 episódios, a série ainda demora um pouco pra engrenar.

Outro ponto muito legal da série é usar uma personagem feminina forte como a Peggy Carter. O espectador já sabe das habilidades dela, e ao vê-la rebaixada e ignorada, só faz fortalecer o momento em que Carter é vista pelos outros agentes da forma que nós a vemos.

No geral, gostei muito da iniciativa de uma série menor, mais direta ao ponto e que mantém o fã antenado no universo Marvel enquanto sua principal série não retorna. Acho meio desnecessário que role uma 2ª temporada, pois gostaria de ver a Marvel fazendo mais minisséries com outros personagens, tipo uma da Viúva Negra ou do Gavião Arqueiro. Mas se tiver mais da Agente Carter, que venham novos episódios!