Resenha: Smallville – A Última Temporada

Smallville acabou tanto lá fora quanto aqui no Brasil e com ela chegou ao fim mais uma releitura do Homem de Aço. A série fez parte da minha adolescência. Era assim nas manhãs de domingo na TV e rapidamente evoluiu para as temporadas em DVD. Com muita empolgação durante as três primeiras (sendo a terceira a melhor de todas), seguida da mesmice da quarta e da extrema decepção que foi a quinta, com um levante de esperança na sexta, mas que logo tomaria um banho gelado com a frustrante sétima temporada – sem saber a quem culpar: se a greve dos roteiristas que atingiu todas as séries naquele ano ou se já era um indício do desgaste da série. Aí veio o divisor de águas.

O roteirista dos quadrinhos Geoff Johns tomou parte da equipe criativa com a proposta de trazer a série mais pra perto das HQs e o que se viu a partir da oitava temporada foram inúmeras referências aos quadrinhos, seja como citações ou como participações especiais de personagens, sendo a mais significante a da Legião dos Super-Heróis (um bando de inúteis nos quadrinhos, mas que é  responsável por um dos melhores episódios da série), o episódio duplo da Sociedade da Justiça e vilões como Apocalypse na oitava temporada e Zod na seguinte.

E com isso chegamos à derradeira 10ª temporada (daqui pra frente SPOILERS, pra você que não viu o final da série), com um Clark cada vez mais consciente do seu papel como o herói que o mundo precisa, porém ainda cheio de dúvidas e inseguranças que foram muito bem representadas pela cara de cachorro sem dono de Tom Welling. E para se alimentar e se fortalecer dessas dúvidas, não só as de Clark como também as da humanidade, surge o Darkseid “monstro de fumaça de Lost”. Preciso confessar que fiquei um tanto decepcionado com algumas soluções mostradas no episódio final, principalmente na questão do tempo de cena da roupa e do voo, embora a roupa eu nem tenha ficado tão surpreso assim. No geral, é um bom episódio e um bom final, não me entenda mal, mas acho que dada as circunstâncias e o clímax em que chegamos a ele, as coisas poderiam ter sido melhor trabalhadas até pra torná-lo mais empolgante.

Apesar dos pesares, Smallville foi uma série acima dos padrões, inovando na abordagem para um novo público, com todos os altos e baixos que as grandes séries apresentam. Vou carregá-la na minha coleção de DVD’s, pra sempre que der saudade de curtir um “Somebody Saaaaaaaaaave meeeeeee”.

Smallville, 2001-2011 – 10 Temporadas – 218 Episódios