Resenha: The Flash – 3ª Temporada

Flash definitivamente veio como um frescor para os fãs de séries de quadrinhos que já estavam um tanto exaustos do clima pesado e dark de Arrow. Com seu tom mais animado, se assumindo como uma série de super-heróis e com duas excelentes temporadas, Flash acelerou e se firmou. Mas ao tentar ousar, Flash acabou tentando correr mais do que as próprias pernas e nos trouxe uma temporada bem fraca, decepcionante até.

Ao aproveitar a culpa de Barry (Grant Gustin) para criar a versão da TV da saga Flashpoint, Barry acabou sendo mais uma vez o grande responsável por tudo de ruim que a equipe enfrenta. Mas a adaptação da saga acabou sendo para pura e simplesmente para criar os vilões que o Time Flash enfrentaria ao longo dos 23 episódios, plot que já havia sido usado na primeira temporada com a explosão do acelerador de partículas. Mas as consequências do Flashpoint, inclusive os motivos que levaram Barry a desfazer essa linha utópica, são vazios em comparação tanto à sua versão original dos quadrinhos quanto os próprios motivos que levaram o personagem a voltar no tempo e salvar a própria mãe.

[A partir daqui tem SPOILERS]:

Flash acabou sendo vítima da sua própria fórmula “quem é o misterioso velocista”, mas acaba que a revelação aqui satisfaz. Tem um quê de metalinguagem o fato do próprio Barry ser herói/vilão na sua série, ele é o causador dos problemas que os afligiram, mas, embora a série a todo momento jogue na nossa cara a identidade de Savitar mas sem percebemos (bastante sutil e bem feito) a revelação demora a acontecer, o que dá um enorme desequilíbrio à temporada, onde somente à partir da parte final a série começa a voltar pro formato empolgante que ela se estabeleceu nas suas temporadas anteriores. Até lá, a série falha em se sustentar, apenas atraindo pelo seu bom elenco de apoio e seus arcos paralelos, como a luta de Caitlin (Danielle Panabaker), Cisco (Carlos Valdez) ganhando mais espaço e o novo Wells (Tom Cavanaugh). Até a entrada de novos personagens, como Julian Alpert (Tom Felton) contribuiu à série. Por outro lado, agora o STAR Labs tá mega lotado e alguns personagens acabam preteridos, como Wally West (Keynan Lionsdale).

Com um final bastante fraco e raso, mas funcionando bem para o encerramento do arco, Flash termina sua 3ª temporada de modo no máximo satisfatório, mas bem abaixo dos impactos que as temporadas anteriores nos deram, o que torna difícil qualquer previsão do que a 4ª temporada pode nos trazer. Que os produtores possam nos trazer uma temporada mais leve e heroica até, como nos primeiros dias da série.