Resenha: Thundercats – A nova série animada

Eu não sei quanto a vocês, mas eu fico muito triste pelas nossas crianças ao ver como tem um monte de desenho ruim passando tanto na TV aberta como na TV paga. Não se comparam em absolutamente nada aos desenhos da nossa geração, que tinham aventura, personagens e histórias muito mais interessantes. E quando o Cartoon Network anunciou um remake de um desses desenhos, Thundercats, fiquei meio tenso. Não por achar que eles fossem fazer ligeiras mudanças (e fizeram, falarei delas adiante), mas por achar que eles transformariam um desenho clássico numa sensação pop estilo aquela porcaria de Ben 10. Pra minha total felicidade, nada disso aconteceu, e o desenho (pelo menos os três episódios que vimos) é excelente.

Então, vamos à história do desenho. História sim, porque diferente do original, onde no primeiro episódio já vemos que a treta em Thundera já aconteceu e os Thundercats fogem para a Terceira Terra, nessa nova versão, são dias de prosperidade no reino, os gatos lideram com justiça e os lagartos são marginalizados. Lion-o, que era uma criança no corpo de um homem no original, aqui é um adolescente sonhador e que não liga muito pras suas responsabilidades reais, decepcionando seu pai, o Rei Claudus, e o povo, que preferiria ver o irmão adotivo de Lion-o, Tygra ser o herdeiro do rei (Sim, aqui eles são irmãos adotivos. No original eles tinham alguma relação? Quem souber fala aí nos comentários!). Agora a destruição de Thundera também se dá devido a guerra entre os gatos e lagartos, mas todo o reino e o clero são enganados por um traidor da corte e por Mumm-Ra. Jaga também ajuda os novos Thundercats a fugirem, mas sob circunstâncias diferentes.

Nesse remake eles se preocuparam mais em mostrar toda a realeza de Thundera, como as coisas eram antes de tudo ser destruído. E isso é feito com muita eficácia. Personagens tiveram suas características alteradas, mas nada com que os fãs mais conservadores possam se queixar. Snarf agora não fala (graças a Deus) e Willykit e Willykat viraram trombadinhas com o sonho de se tornarem ricos e estão muito mais suportáveis do que suas versões originais. Tygra está mais paquerador e com menos marra de intelectual, e agora além do chicote tem também uma pistola. Cheetara foi a que eu senti mais mudanças, agora ela tá mais com cara de novinha e menos cara de mulher-macho, está mais serena, mas ainda bate como poucos, e ainda tem seu bastão e o poder da velocidade. Até o momento Panthro ainda não apareceu, mas do pouco que foi citado já deu pra perceber que ele foi mais envelhecido, me lembrando muito aquele aquele coroa sinistro de Avatar, o cara que queria matar geral. Mumm-Ra está muito legal, mas por enquanto só apareceu em sua “forma decadente”, mas mesmo assim valeu a participação.

Pra quem não conhece, esta aí um novo desenho que vai te deixar vidrado na televisão (quando a Divina providência fizer isso chegar em algum canal aberto). E pra quem viu o original vale toda aquela nostalgia de ouvir Mumm-Ra gritando “Antigos espíritos do Mal…” (que ele já faz no segundo episódio) e é claro não podia faltar a convocação dos Thundercats. E tomara que quando passe aqui no Brasil façam uma dublagem decente. Thunder… Thunder…